sexta-feira, 19 de março de 2010

# 140 trechos de Filmes no Twitter [46 a 50]

Coloquei dois filmes de mesmo diretor na mesma sequência de cinco trechos. Tentarei reorganizar melhor as lembranças para balancear um pouco a série no futuro. Vamos lá, que depois disso só faltam 90.

Notas: 1) Coloco no blog 5 trechos por post. 2) Colocarei só trechos de filmes que eu vi. 3) Os filmes não precisam ser bons ou conhecidos. 4) Às vezes o trecho que considero(lembro) é maior que o limite permitido, então, a parte que saiu no twitter vai estar em azul negrito aqui. 5) Os trechos não precisam ser perfeitos. Pode ter variações, por eu ter visto legendado, dublado ou minha memória falhar. Mas que a idéia confira. 6) Tentarei colocar vídeos dos filmes (ou imagem, cartaz) se possível do trecho em questão (o que é difícil), ou trailer, ou outra cena, o que encontrar. 7) Se der, eu explico o motivo da escolha e representatividade do trecho. É isso.

Só os trechos bala, de 46 a 50 num piscar de dedos.

[46/140] "Seja a luz. Não a mariposa." [Casanova (2005), de Lasse Hallström]

Se não notaram, digo que todo conquistador vem com esse papo de que não somos nós que conquistamos as mulheres e coisa e tal. Nós é que precisamos ser a melhor escolha para elas. É o discurso de Don Juan de Marco e Casanova, por exemplo. Parece que o fato deles serem Johnny Depp e Heath Ledger não tem peso algum nisso. Bem, se tiver paciência, aprenda com os bons em 8:36.



[47/140] "Miho, você é um anjo! Você é uma santa! Você é Madre Tereza! Você é Elvis Presley! Miho, você é Deus!" [Sin City (2005), de Robert Rodriguez]

Eu fiquei deveras embasbacado ao ver Sin City pela primeira vez. Creio que o fato d’eu não ter lido os quadrinhos ajudou muito a me deixar extasiado vendo uma HQ rolando na tela gigante, e com um dos artifícios que particulamente gosto: a narração feita pelo próprio personagem (característica de filmes Noir). Dwight solta esta pérola frankmillerana – coloca o volume no máximo, que o som tá ruim – em 0:27.



[48/140] "É 100%, 14? Então senta o dedo nessa porra!" [Tropa de Elite (2007), de José Padilha]

Depois da temporada em que todas as falas do filme foram utilizadas incessantemente por todas as pessoas de todas as classes sociais desse país varonil, eu tinha que escolher alguma para colocar aqui. Na dúvida entre colocar na conta do papa ou tirar minha roupa preta e pedir pra sair, já sendo um fanfarrão mesmo...sentei o dedo nessa porra!



[49/140] "Ritchie, você poderia comer a minha buceta, por favor?" [Um Drink no Inferno (From dusk till dawn, 1996), de Robert Rodriguez]

É incontestável dizer que Tarantino é um diretor talentoso. Engraçado como não vejo ninguém dizendo o mesmo dele como ator. E pra mim ele nunca funcionou tão bem quanto na pele de Ritchie Gecko - o irmão dele é o melhor personagem do George Clooney que já vi. O filme vai ultra supimpa até a metade, antes da introdução dos vampiros. Agora vamos ao trecho surreal proferido por Juliette Lewis, no auge da sua boniteza, aos 6:33.



[50/140] “Tentei de tudo. A embaixada, o governo alemão, o consulado. Até falei com o embaixador das nações unidas. Não consegui nada. Não consigo fazer com que minha mulher tenha um orgasmo.” [Top Secret! (1984), de Jim Abrahams]

Rapaz, esse é do tempo em que as comédias-
pastelão eram realmente engraçadas, com gags (piadas) criativas e únicas. Hoje, este filão não passa de uma colcha de retalhos de referências igualmente escrotas: como filmes ruins, fofocas, vida de popstars... situações em que você só conseguirá entender se tiver conhecimento de causa – e isso ainda não lhe garante que terá um pingo de graça. Um filme que recomendo a todos, com um tipo de humor que infelizmente caiu em desuso, ou os caras perderam a mão. O agente de Val Kilmer tentando tirá-lo da prisão em 3:35.

1 comentário:

Nega disse...

Tarantino é supimpa!
Eu acho.

Top Secret é um clááássico!

x)