quarta-feira, 30 de junho de 2010

sexta-feira, 25 de junho de 2010

"Visagem"(2006), de Roger Elarrat

Dos escritores paraenses vivos, Walcyr Monteiro parece ser único que eu lembro de ter lido...sem ficar em algum momento constrangido. É possível que eu esteja cometendo alguma injustiça por não estar lendo o suficiente, mas o que percebo é: mais do que um pretenso e malfadado rebuscamento estilístico, a orientação forçada paroara de ser, a carga amazônica, a chatice encontrada na produção literária local (inclusive virtual) parece não ter limites. O interessante é que Walcyr Monteiro é justamente um narrador e defensor dos encantados, lendas e elementos ditos culturais da história paraense. O que me faz pensar que temos outros escritores que, não é que eu não goste por escreverem sobre isso...não gosto porque eles são ruins mesmo.

Quanto à produção audiovisual no Estado, não tenho receio de cometer alguma injustiça sobre o que eu acho. Até mesmo, porque eu não acho NADA. Depois de ver diversos títulos, clipes e curtas que vão “do nada pra lugar nenhum” ou quando vão, desagradam-me por conta de atores, idéias, falta de bom senso, ou tudo junto...tornei-me um apreciador esporádico, até mesmo casual dos novos vídeos feitos em nossa querida terrinha. Há produções que deram o que falar, como As Filhas da Chiquita [trailer] e Brega S/A [download], que ainda não vi por puta falta de oportunidade (ou sacanagem mesmo, para não perder o hype da família restart).

Não querendo me estender mais sobre o assunto, só queria dizer que se eu fosse obrigado a apostar todas as minhas fichas num representante local da 7º arte, este cara seria Roger Elarrat. Às voltas com seu último curta metragem, "Juliana contra o jambeiro do Diabo pelo coração de João Batista", o rapaz já tem no currículo: documentário, animação e uma minissérie de tv (ainda inédita).

Fora a animação, em que fui convidado para dublar um dos personagens, não vi nenhum dos outros trabalhos do diretor! Minha identificação se baseia totalmente em compartilhar o mesmo pensamento sobre a motivação da arte em nossa sociedade contemporânea.




Junto com Adriano Barroso (ator/roteirista), seu parceiro de produções e intenção do fazer artístico, Elarrat criou por essas bandas a “Visagem”, uma animação em stop-motion de 11 minutos. Walcyr Monteiro é a base do roteiro, que percorre por várias narrativas populares de terror e mistério da sua série de contos “Visagens e Assombrações de Belém”. No curta, dois amigos apostam sobre quem teria coragem de acender uma vela no centro de um antigo cemitério, no meio da madrugada. Quem já leu essas histórias vai se familiarizar rapidamente com as situações protagonizadas pela dupla, olha o naipe das figuras:



É claro que o gordo medroso e grunge ficou com a minha voz. Dizem que caiu como uma luva, mesmo só fazendo sons (sem palavras)! As imagens foram surrupiadas do blog do Nelson Nabiça, o diretor de arte e escultor dos bonecos.


Abaixo, "Visagem"(2006), na íntegra:



Pra conhecer mais sobre Roger Elarrat e seus projetos:

# Entrevista no portal "Ecleteca"
# Entrevista no "Curta em Circuito"

segunda-feira, 21 de junho de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010

novo twitter e desculpas esfarrapadas

Um dia desses, nem meu orkut ou twitter existiam mais. Retornei há algum tempo a este último, com cinco letras a menos no nick. Minha segunda temporada no twitter é esta aqui.

--> fiquem à vontade para a agradável perseguição virtual.

Bem, agora vamos ao episódio "desculpas esfarrapadas". Como já perceberam, esta birosca anda meio parada. Outro dia fui tentar desenhar em casa e percebi que ela está em obras, sim, os móveis mudaram de lugar, e perdi minha mesa de desenho por exemplo. "Mas por que você não desenha direto na tablet?", alguém poderia perguntar. Meu computador está coberto com um colcha de cama, protegido dos pedaços do teto que caem em cima dele. Estas parcas palavras estão sendo digitadas do meu computador empresarial de trabalho, no horário do expediente. Pelo visto é o fim, não é mesmo?! Claro que não, a esperança só morre quando este catchorro perder o senso de humor...

See ya...