sexta-feira, 27 de agosto de 2010

tatuscote

Se tem uma coisa que quase nunca participo são concursos de qualquer natureza. Para não dizer que sou o próprio azar, fiquei em 3º lugar num concurso literário (cuja publicação nunca saiu, eu acho) e ganhei uma churrasqueira elétrica numa festa de confraternização de fim de ano - ainda bem, porque não pretendo ir a mais alguma. De vez em quando, compro rifas apenas para ajudar as pessoas porque sei que não herdei a sorte da minha mãe, que já foi agraciada com televisão e bicicleta - prêmios das promoções mais desconhecidas de produtos idem.

Como o importante é competir e quem não joga não ganha (é o que dizem), estou tentando me redimir e participar de ações com o intuito de pelo menos "produzir" mais. Então enviei umas tiras inéditas pro Salão de Humor Interplanetário da Revista Mad e cartuns pro 3º Salão de Humor da Amazônia. Tudo aparecerá por aqui uma hora ou outra assim que os eventos findarem. Nesse esquema, eu participei de um concurso de criação de um mascote para a Comissão de Prevenção de Acidentes (CIPA) de uma companhia de construção civil.

O resultado já saiu e o destino do armadillo exposto à radiação gama é apenas este blog. Entrou para o limbo dos quase mascotes, mas esta postagem é em sua homenagem. Uma palva de salmas! Clap, clap, clap...

NOTAS - O tatu-bola não cava muito bem, por isso é facilmente capturado. Minhas orientações zoomórficas bem livres, o uso obrigatório do verde e mais a tentativa de simular um muro na arte podem facilmente confundi-lo com um "Jabucura" (mistura de Jabuti com Mucura). Segundo o Wikipedia
:"Quando se protege de outros predadores, o tatu enrola-se, formando uma bola de armadura quase indestrutível. Nem um atropelamento de um veículo consegue perfurar a espessa armadura que o cobre". Eita, isso não é um tatu... é o Juggernaut dos X-Men.

Pluto aprontando altas confusões com um tatu em Belém - PA (é sério).

Sem comentários: