terça-feira, 22 de agosto de 2006

"Fora de Rumo", de Mikael Håfström (2005)

Talvez o cinema do século XXI será apenas remakes e adaptações de outras obras: livros, quadrinhos e histórias baseadas em fatos reais que não aconteceram. É impressão minha ou está cada vez menor o número de pessoas criando com exclusividade cinematográfica? Quero dizer, que elegem o cinema como primeira aparição, como o Shyamalan e seus causos sinistros. Seguindo esta tendência, acaba de chegar num pirateiro perto de você, Derailed, filme baseado no livro de James Siegel. É claro que isso não faz a menor importância, já que eu nunca li nada de Siegel, e pior... quase faço um trocadilho cretino com Steven Seagal.

Fora de Rumo é um Thriller – um daqueles filmes que te deixa puto com a situação em que um personagem está, e você não vê a hora como isso vai acabar; ou feliz, caso você seja o Michal Jackson, que vendeu mais de 50 milhoes de cópias do álbum Thriller, de 1982.

Senta, passa um trote para alguém só pra sacanear, que lá vem a história.

Charles Schine (Clive Owen) não está passando por uma fase muito boa no casamento, já deve estar broxando mesmo com uma esposa gatona. Sua filha é meio doentinha, tem uma diabetes braba e faz diálise todo dia (ou quase, não entendo muito de diálises), está só o aro e parecendo um zumbi. Andando pela rua dizendo “que merda de vida” ele pega um trem para o trabalho e flerta com a ex-mulher do Brad Pitt. Neste filme ela é uma executiva igualmente casada, que tem uma filhinha linda e um marido ausente. Diante da incomensurável escrotidão de suas sofríveis vidas familiares eles decidem - depois de uns papinhos, risinhos, bebidinhas - pular suas respectivas cercas. No meio do caminho para a sacanagem, a moça desiste (o que é uma sacanagem também), salta do táxi. Charles vai atrás dela para dizer:

-Tudo bem, eu entendo, eu também nunca fiz isso antes. O fato de termos parado por acaso na frente de um motel e o meu pinto já estar que nem um osso...não vai te influenciar de forma alguma.

Então, eles entram na espelunca de 6º categoria. Após o início das atividades e quando Jeniffer Aniston ia literalmente cair de boca, Vincent Cassel (que não tem nenhum motivo para pular a cerca na vida real, e come a Mônica Belluci todo dia) entra armado no quarto, dá porrada em Charles, estupra Jeniffer e vai passar o resto do filme aterrorizando e extorquindo o pobre publicitário que estava tão afim que esqueceu de trancar a porta do quarto naquela região de alta periculosidade. Por conta deste segredinho, o cara terá que desembolsar grandes cifras que estava guardando para o tratamento de sua filha. E o pior de tudo é que...ele nem comeu ninguém.


Monica bellucci, esposa do bandido do filme. Perceba como é fácil arrumar desculpas para introduzir mulheres peladas neste blog e como Bellucci merece que sua foto seja a maior de todas no recinto

A vida de Charles vira um inferno, tudo por causa de um caso que ele nem engrenou. Quanto mais ele tenta resolver a situação, mais ele se envolve num problema maior, o que caracteriza o fator thriller e a espera pelo desfecho. O filme tem três coisinhas legais: consegue prender a atenção; ainda que cogitemos várias coisas antes, consegue surpreender em seu momento mais derradeiro; despertou-me a vontade de ler este ou outros livros de James Siegel – algo que provavelmente não acontece com Dan Brown, depois de verem aquele filme do Da Vinci.

No final da contas, é um filme reflexivo, sobre pessoas insatisfeitas, sobre o quanto podemos perder muito por tão pouco...ou ainda, o quanto nós podemos nos fuder de uma forma nem um pouco prazeirosa por causa de um rabo de saia. "Fora de Rumo" é o filme ideal para quem adota a prática ou está pensando em ter aventuras extra conjugais.



------------------- Extra: 300 -------------------

Foram liberados os três primeiros posters de "300", filme baseado na obra de Frank Miller, “300 de Esparta”.

Pôster 1; Pôster 2; Pôster 3 (via Tarja Preta)

Na minha curta vida de farsante e profundo conhecedor das artes, “300 de Esparta” é umas das poucas coisas que tive a oportunidade de apreciar em seu estado original, o mesmo não aconteceu com "Sin City", "V de Vingança" e tantas outras que vi primeiro na telona. O que posso dizer é que é realmente du cascalho!

Todo mundo sabe que Rodrigo Santoro está na película. Li recentemente que um desses caras que manjam de cinema e o escambau disse que o ator pode estar fazendo um mal negócio. De que os atores que entram no mercado americano não conseguem fugir do estereótipo latino e coisa e tal, acrescentando que Sonia Braga poderia estar bem melhor hoje se tivesse continuado a investir na carreira em terras brasilis.

Então quer dizer que Santoro... ao invés de assumir um papel numa mega produção com o aval de Frank Miller e aceitar o convite para participar da premiada e quase unanimidade fodônica série LOST... deveria continuar nesta lida de aparições esporádicas em esporádicos “filmes bons” nacionais e papéis de galã em alguma trama super realista de Maneco Carlos? É isso?

Rapaz, já vai é tarde! E vê se aprende a falar inglês com sotaque francês, que de repente ainda faz o Gambit em algum dos próximos X-MEN.

1 comentário:

Tamine disse...

olha, vai rolar o SNAKESONAPLANE. só peço um tempinho pra assimilar a nova rotina de filantropia...(aqui o trabalho é bem mais pesado...)
bjs, meu!